Leptospirose - Uma Zoonose


 

 

A palavra Zoonose, de origem grega, é um termo usado na medicina que designa as doenças infecções transmitidas para o ser humano a partir dos animais. As zoonoses são transmitidas pelos animais através de vírus, bactérias, fungos, protozoários e outros microorganismos diversos.

Uma das zoonoses mais conhecidas é a leptospirose.

A leptospirose é uma zoonose de ocorrência mundial causada pela bactéria Leptospira, é uma doença infecto-contagiosa que acomete animais silvestres, animais domésticos e o ser humano.

Apesar de vários animais silvestres e domésticos poderem ser portadores e transmitir a doença, o rato comum (Rattus norvegicus) é tido como o maior reservatório de leptospira. O cão tem grande importância na doença por ter um estreito contato com o ser humano, o que facilitaria uma possível transmissão e contaminação caso o animal seja contaminado.

Os sinais clínicos no ser humano se iniciam com mal estar, febre de início súbito, dores de cabeça, dores musculares, enjôos, vômitos, enterite e nos casos graves, complicações hepáticas, renais e vasculares.

Nos cães, a leptospirose se apresenta de forma aguda, com febre, sintomas entéricos como diarréia, às vezes sanguinolenta, lesões hepáticas, lesões renais, e também possíveis hemorragias generalizadas (gengiva, mucosa de intestino, através da urina). De forma prática, o que o proprietário vai perceber, é a falta de apetite, o vômito, a diarréia, a apatia e em alguns casos, a coloração amarelada das mucosas orais e oculares, sintoma denominado icterícia. O animal irá apresentar uma grave desidratação, emagrecimento, fraqueza e dificuldade para caminhar.

A transmissão ocorre através da exposição e contato com água contaminada com urina de animais infectados, mais comumente através da urina de ratos contaminados, estes animais urinam em locais que haja comida para marcar o território e a posse do alimento.  Outra forma é o contato com águas provenientes de chuva que vão para os bueiros, entram em contato com urina de ratos contaminados e causem pontos de alagamento e possível contato com animais e pessoas.

O diagnóstico da leptospirose é feito pelo Médico Veterinário, através de um exame clínico, com o auxílio de exames laboratoriais complementares, exames sorológicos específicos.

O tratamento é feito com o uso de antibióticos que atuam intensamente nas bactérias Leptospira, além de tratamento de suporte e sintomático, como fluidoterapia, vitaminas, anti-eméticos.

A prevenção é um assunto de extrema importância, pois a leptospirose é uma doença muito grave, que atinge animais e pessoas, em muitos casos, pode levar os pacientes à morte. Portanto, a prevenção é o melhor caminho. Ela é feita através da imunização através da aplicação de vacinas específicas, quando o cão é filhote e com aplicações de reforço semestralmente.

Pergunte ao Médico Veterinário qual o melhor procedimento a ser utilizado no seu animal de estimação.

Dr. Daniel G. Pohl – Médico Veterinário – CRMV-SC 1704 – Fisioterapeuta Veterinário – Fone 999715141

 

 

Pet Saudável