SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA CANINA


O envelhecimento é um processo natural que ocorre no organismo dos animais, com progressiva degeneração celular, e consequente perda das funções específicas de cada órgão.

         Quando estas alterações degenerativas senis afetam o sistema nervoso central, promovendo uma diminuição na capacidade mental do animal, denominamos de Síndrome da Disfunção Cognitiva (SDC), popularmente chamada de “Alzheimer canino”.

         Esta síndrome tem se tornado mais frequente, devido aos avanços na Medicina Veterinária, que vem aumentando a expectativa de vida dos cães, e com isso, aumentando a possibilidade do aparecimento de várias patologias características dos animais idosos, entre elas, a SDC.

         Os sinais começam a aparecer de modo discreto, lenta e progressivamente, em cães de idade avançada (em média, a partir de 9 anos). Basicamente, os primeiros sinais a serem percebidos são as mudanças de comportamento e de hábito, como ter dificuldade de encontrar os caminhos dentro de casa, ficar menos atento, perder a ansiedade comum quando está próximo da hora da comida, apresentar um olhar distraído e distante. Podem ficar mais retraídos e até mesmo agressivos com os proprietários ou outros animais da casa. Com o passar do tempo, os sintomas tendem a piorar, ocorrendo uma troca do dia pela noite, ou seja, o animal passa a ficar acordado durante a noite e dorme durante o dia, pode apresentar um caminhar incessante e compulsivo, pode começar a chorar, ganir e até mesmo uivar sem motivos aparentes. Pode ocorrer também o esquecimento de ordens e truques aprendidos, como urinar ou evacuar em locais errados e diferentes dos habituais e deixar de obedecer comandos usuais. Pode ocorrer diminuição da audição, diminuição no interesse de brincar ou de chamar a atenção dos donos.

         O diagnóstico da Síndrome da Disfunção Cognitiva é feito pelo Médico Veterinário, que após examinar o animal, conhecer o histórico, os sinais e sintomas, e realizar exames para eliminar outras possíveis enfermidades, pode confirmar a existência da SDC.

         O tratamento desta enfermidade é feito com o objetivo de melhorar a atividade neural, evitando a progressão da doença e promovendo a melhora clínica. Este tratamento baseia-se em um conjunto de protocolos, como o uso de medicamentos específicos para melhorar e estimular o metabolismo do sistema nervoso central, associado à mudança na dieta, tornando-a nutricionalmente melhor balanceada com componentes que irão estimular a função cerebral, e muito importante, o enriquecimento ambiental, com brinquedos, exercícios específicos e fisioterápicos, com a finalidade de desenvolver e devolver o equilíbrio, a coordenação motora, a orientação espacial, a rotina de atividades básicas como urinar, evacuar, dormir, brincar. Em resumo, oferecer ao nosso amigo idoso, uma maior qualidade de vida.

Dr. Daniel G. Pohl – Médico Veterinário – CRMV-SC 1704 – Fisioterapia Veterinária – Ozonioterapia Veterinária – Fone (48) 999715141

Seja o primeiro a avaliar!


Adicionar aos favoritos

03 abr 2018


Por Dr. Daniel G. Pohl
Anuncie